sábado, 25 de setembro de 2010

Espelhos


Sou todo abismo
Sou eu todo, Mundo
faço-me à medida que te conheço,
Com o outro sou
progresso, evolução e o amanhã
sou de estilo camaleónico, habituo-me
a ti com a maior das
facilidades. Ainda tu não existes já sou
como tu, já tu morreste
terei sido como tu.
Vem, vem ao mundo, explora, queima,
bebe, toca, sente a melhor
das primaveras,
mas não te esqueças
quando explorares,
queimares
beberes, tocares ou sentires
a melhor das primaveras
que existe sempre, onde tu existes,
alguém que é igual
a ti. Alguém a quem dói também.

domingo, 8 de agosto de 2010

Ponto Fraco


A subtileza do teu aparecer
arrancou-me os olhos.
O carisma que o teu olhar transpira,
rejuvenesce-me quando ris, quando falas,
quando existes ao pé de mim.
Lá chegaste tu com toda a tua vaidade
para dentro da minha lembrança,
a lembrança que atormentas quando me foges.
Tu não és muita coisa em mim,
És uma pequena coisa muito
grande em mim
és,
és em mim na estrada que me leva a ti
és em mim uma estrela de quinta-feira
és em mim em tudo aquilo que faço.
És o meu ponto fraco.


Fica
Fica ao pé de mim.
Vamos ouvir a noite a cair.